Download 1300 pontos de trico PDF

Title1300 pontos de trico
File Size31.2 MB
Total Pages175
Table of Contents
                            000
001
002
003
004
005
006
007
008
009
010
012
013
014
015
016
017
018
019
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30
31
32
33
34
35
36
37
38
39
40
41
42
43
44
45
46
47
48
49
50
51
52
53
54
55
56
57
58
59
60
61
62
63
64
65
66
67
68
69
70
71
72
73
74
75
76
77
78
79
80
81
82
83
84
85
86
87
88
89
90
91
92
93
94
95
96
97
98
99
100
101
102
103
104
105
106
107
108
109
110
111
112
113
114
115
116
117
118
119
120
121
122
123
124
125
126
127
128
129
130
131
132
133
134
135
136
137
138
139
140
141
142
143
144
145
146
147
148
149
150
151
152
153
154
155
156
157
158
159
160
161
162
163
164
165
166
167
168
169
170
171
172
173
174
175
                        
Document Text Contents
Page 1

;;



montricót

G-NOVO GUIA DAS TRICOTEIRAS
VOCABULÁRIO COM AS EXPLICAÇÕES

PARA CADA PONTO

Page 2

ANTES DE TRICOTAR

Vocês devem estar familiarizadas com tudo que irio precisar : material e -
fios. Vocês devem entender o vocabul6rio técnico e aprender a faze, uma
amostra para evitar erros nas proporções e decepções quanto ii aparência
do ponto escolhido e também ler a explicação de.se ponto.

o MATERIAL DA TRICOTEIRA

1) o estojo para agulhas.
21 Pares de agulhas com diAmetros variados.
3) Agulhas de 2 pontas em Jogos de 5.
41 !Agulhas circulares.
5) A agulha au)(iliar.
6) Alfinete dh segurança auxiHar.
7) O porta-novelo.
8) Os carretéis para o jacquard.
9) Um metro de costura.

10) Uma slIcola para transportar ou guardar o tra·
balho.

OS FIOS

Existe um grande número de variedade de fios
que diferem pela aparência, espessura e. princi-
palmente. pela origem das fibras que entram na
sua composiçio: naturais ou sint6licas.


O VOCABULARIO

AGUlHAS DE TRtcO - Sio os acessórios indis·
pensáveis para a execução de um trabalho tricota·
do. Podem ser compridas, curtas e de diimetros
diversos, desde as bem f inas at6 as agulhas bem
grossas ou giganles para trabalhos ultra-rápidos.
As agulhas de tricO têm uma ponta numa das ex-
tremidades para manipular os pontos com mais
f.cilid.de ; • Oulra extrem idade 6 terminada por
um. bola que impede os pontos de cairem e so-
bre a qual o dilmetro da agulha 6 geralmente in·
dic.do. A agulha direita permanece na mio direi·
ta e a agulha esquerda na mio esquerda.
AGULHA AUXILIAR - É uma .gulha curta com
duas pontas, na qual são colocados os pontos à
espera para fazer çordas. tranças e pontos cruza-
dos.
AGULHAS DE DUAS PONTAS - São vendidas
em jogos de 5 agulhas e do usadas para tr icotar
em clrculoldecotes, meias, luva8, elc ... ).
ACRESCENTAR UM PONTO - Acrescentar um
ponto 6 fazer um aumento. Mas o termo " acres-
centa," II usado principalmente quando o aumen-
to , formado de muitos pontos e é fe ito de uma
VI;-, quandO estes pontos novos slo intercalados

4 enll!!! duas frentes do trabalho (decote das cos-

tal), ou quando sio colocados no fim da agulha
(mangas quimono). Ver aumentos, pigin. 8.
ALONGAR UM PONTO - Ver pagina 6.
ALTERNADAMENTE - Esse termo 6 usado quan-
do uma operação deve ser feita ora dum. manei·
ra. ora de outra. Por exemplo: diminuir alternada·
mente, cada 4 e 6 carreiras.
ASTERISCO - Ver pigina 8.
à ESPERA - Ver pigina 8.
AUMENTO - Ver página 8.
FIO - Ver página 11 .
CRUZAR - Os pontos slo cruzados quando dese·
ja-se obter un:t efeito mail decorativo. Ver pigina

". ATRÁS DO TRABALHO - É o avesso do trabalho.
A 2'. carreira e todas as pares dos diferentes pon-
tos ficam habitualmente no avesso do tr.balho.
fRENTE DO TRABALHO - É o direito do traba·
lho. A 1'. carreira e tod.s .s Impares dos diferen·
tes pontol ficam habitualmente no direito do tra-
b.lho, elÇ1to indicação contrária.
OIMINU Q - Ver pigina 12.
DIREITA - É a parte do trabalho que fica i direita
d. tricotelra, qu.ndo o trabalho II coloc.do frente
a ela, com o direito para cima.
AMOSTRA - Ver pigina '4.
DIREITO DO TRABALHO - Ver frente do traba·
lho.
JUNTOS - Às vezes , necessário tr icotar vários
pontol ao mesmo tempo (juntos) para obter diml·
nu lções. ou pontos fantasia.
AVESSO DO TRABALHO - Ver atrás do trabalho.
Alf1NETE AUXIlIAR - É um grande alfInete de
seguranç., no qu.1 colocam-~e os pont"s ã espe-
r., quando as diferentes p.rtes do tr.balho de·
vem ser executadas, uma após a outra .
AO PUXADO - Ver pigina 15.
ESQUERDA - É a parte do trabalho que fica ã es-
querd. da tricoteira, quando o trab.lho á coloca-
do na frente dela, com o direito para cima .
TlRAR UM PONTO SEM fAZER - Ver pigina 15.
GRAFTlNQ - Ver pág ina 16.
LAÇADA - Ver página' 6.
JUNcÃo DE DOIS AOS - Ver página 18.
SOLtAR UM PONTO - Ver pigina 23.
BORDA - Ver página 19.
PONTO - Ver página 21 .
MONTAGEM DOS PONTOS - Ver página 24. ,
MONTAR PONTOS - Ver página 27 e 29.
BAINHA - Ver página 27
REMATAR - Ver página 30.


,




Page 87

AS ESCADAS
Número de p. divisivel por 18. mais as bornas.
1 ," ti 3 ," elrr. : · 15 m.; 3 t " , 2 ," c.rr. ti tod •••• pl-
r •• : acompanhando o p. S." . 7 ," Clrr. : · 3 m.; 15 I.
°, 9 ," , " ," Clrt. : · 3 m.; 3 I.: 12 m. " , 13," . ,5,"
cln. : • 6 t.; 3 m.; 9 1. ", 17 ," .19," Clrr .: · 9 m.; 3
1.; 6 m. " , 21 ," , 23,· CI" ,; 0 12 t.; 3 m .; 3 1. ",

PlISSADD COM TRIÂNGULOS
Número de p. d ivislvel por 10, ma i, as bordas.
I ," carr. : • 2 l : 8 m. ", Z," • 12 ," Clrr.: • 7 1. : 3 m.
", 3 ," ti 11 ," Clrr.: · 4 t.; 6 m . ", 4 ," ti 10," Clrr.: ·
5 I.; 5 m. ", 5 ," • 9 ," CI,r, : · 6 I.; 4 m. ", 6 ,".8,"
Clrr. : · 3 t.: 7 m. ", 7 ," carr.: · 8 1.; 2 m. ",

PONTO TRICO EM RETÂNGULOS
Número da p divislver por 14. mais a. bordas
' •• ti 5.· ca". : em IrlcO. 2 .· cerr. ti toda. IS pa, •• :
e m maia 3 ," Clrr.: · 7 m.; 7 I. ' 7 ," cerT. : · 7 L; 7
m. ",

BARRA COM CORDAS
N~m.ro de p divislvel por 10, maIs 8' bordas.
1," Cltr . • 3 m.; 1 I.: 2 m.: 1 1 .. 3 m. o. 2 ." cerro e Iodas
es pere. : acompanhando o p . 3." cerr. : • 3 m .. 1 t..
2 m. cruzBdos li eSQuerda Iyer p'g 2 1): 1 1 3 m o

BARRA 2/2 QUEBRADA
Número de p . d iYlslyel por 4 . mail II bordas
1.", 2 .", 3 .· , 4 .· , 5 .· , e 6 .· Clrr. : · 2 m.: 2 I. o
7 .", 8 .", 9 .", 10.". 11 ." 1 12." carr. : · 21.: 2 m •

LANÇAS
Numero de p d IYis!YII por 6. mais 3 p., ma is 8$ bordas.
1." e 5." cerr. : · 3 m.: 1 I.: 1 m , 1 I. o; 3 m. 2 .· carro
e Iodes e. peres : acompanhando o p. 3." carr. : 1 m ..
o 1 I. ~ 2 m.; ". 1 1M 1 m. 7 ." cerr. : · 1 I.: 1 m.; 1 I.
3 m. o. , I.: 1 m.: 1 I

J , . ~ I " "-t.. .:' I -4 . ,

J
>; J;. t ' ~ ' J; ',',
" , " , , ~ ' f i ,.

,
'\ ! ~t . ' , . ~ . . 1. .' , ~ I, .

,' I , I' , .,.~ • ., I .'L '
, . • 'I'" /. I.JI ,> , 'j ,'" .' /0 1 ... ,. "

~".' . I :.1 ... ····' ,
., J' J.', ',,/ " I~:''''I'
, .... '... , ' " ~ . " , 9 1

Page 88

92

BARRA DE CHEVRDNS
Número de p. divislvel por 12. mais as bordas.
1 ," carr.: • 3 m., 5 I., 3 m., 1 \. ", 2 ," carT. a tod ..
as plr.s : acompanhando o p . 3 ," carr. : 1 I ., • 3 m
J I. 0; 3 m.; 2 t. 5 ," carr. : 2 1. ; • 3 m I t ., 3 m :)
I. · ,3m.; 11 .. 3m 3\.31. 7 ," ca". : · 31. 5 m .. 3 I
m. ", 9 ," carr. : 1
2m " JI. lm

m ' 3 •. 3m. ' . 3. 2m ,,' " . carr.
1m 3t.3m

OS EIXOS
Número de p. dil/lsIl/el por 6. mais 2 p .. mais as bordilS.
1," e 3," ca". : ' 2 14m. 0: 2 I. 2 ," carro e todas as
pares : acompanhando o p. 5 ,".7 ," carr.: 3 t ., • 2 m
4 \. °; 2 m.: 3 t. 9 ."carr.:em tricO 10.' Cllrr.:em meia

PONTO TRICO ALTERNADO
1 .· ... 2 .· . 3 ,",4 ,", 5 ,", 8 ,". 8 ,· carr.:cm meliJ 7 ," carr.:
em tricO

BARRA TRIANGULAR
Número de p . dlyjslvel por 5. mais as bordas.
1 ," carr.: em meia. 2 ," carr.: · I m. 4 t ", 3 ," ca" ..
• 3 m.; 2 1 • 4 ," carr. : " 3 m , 2 1. ' 5 ," carr . : · 1
m . 4 t . " , 6 ,' carr.: em mela

TWEED
Número de p. d""slvel por 4 , mais as bordas,
1 ," e 2 ." een . : " 2 m.; 2 t. " . 3 ," earr.: em mela 4 ."
earr.: em t!içO. S." e 6 ." earr,: " 2 m. 21 " 7 ." eafl ,:
em Ir;eO, 8 ." eerr, : em meia,

GOMOS DESENCONTRADOS
Número de p. divislvel por 20. mais as bordas.
1,".3."eerr . : " 10t.; 10m. ", 2 ."e4."cerr.:acompa·
"hando o p. 5 ," eel'T, :em meiill .6 ," e 8 ." eert,:" 10m
10 t. " 7 ," e 9 ." ee,r.: aeompanhando o p. 10," cerr ,:
em tricô.

Page 174

,P) Introduzir a agulhtl direittl. da frente Ptlftl trá • .
ne.se ponto. d.ixá-Io escorregtlr dtl tlgulhtl e.quer-
da. par. retomá·lo ntl tlgulhtl direita (de •• nho J). Re-
petir suces.iv.mente as opertlções ilu.tradas pelo.
desenho. H.1. J , ptlra formar c.d. um do. ponto. se-
guintes.

J

N. urrei" de ponto •• uim montado., pode .. trico-
.. , • primeira urrei,. em ponto mel. ou .m tric6,
ot.I em virio, pontos fent.sI., obtkto. pete combln.-
çio d .. , .. ~. ponto. d. be ...
Opontomelll

P) r:eg.r a .gulh. com os ponto. montado., com •
mão direittl, o fio se encontrtlndo .I,h do tr.balho
(desenho K).

K

2.") Introduzir a .gulha e.querda no prlm.lro ponto,
enlre o fio d. frente e o fio de Irás, por btllllo dtl .gu-
Ih. direlt. (desenho l).

L

3.0' EnrOlar o fio em volttl dtl ponta d •• gulh. esquer-
dtl, ptlsundo·o por b.lxo, depois :cbre .... . gulh.
{des.nho. MI e pUlltlndo-o tltraves do ponto que se

M

d.ixa cair da tlgulha direita (desenho N e O). Obtem·
se um ponto mei • . Repetir suce .. ivtlment. as opera·
çóe. ilustr.das pelos desenhos l . M, N e O par. for-
mar c.dtl um do. pontos meia . eguinte • .

N

NoAO conselho
PrMt. atençio ,.,. que cede ponto. tricoter ..
encontre perto d. pon" d •• gulh. dlreit., p.r.
que o mnmo po ... escorreg.r f.cllm.nt. d ....
egultt..

o ponto trica
1.") M.nter •• gulh. com o. pontos montado., com
ti mio dlreittl. O fio se encontrtl no direilO do tr.ba·
lho (desenho P).

o

2.") Introduzir. agulh. esquerda no primeiro ponto,
dtl esqu.rd. p.r. a direiltl, de trás para I frente e em·
btlillo d •• gulh. direita (desenho a).

p

3.".) Enrol., o fio. volt. da pónttl dtl tlgulh. e. que,-
-dil, pas •• ndo-o embeixo, depois IObr . ..... gulh.
~d.senho R).

o

TrtlZA-lo .trtlv" do ponto que se deixtl escorregar d •
• gulhtl direita (desenhos S, T e UI; obtemos um pon·
to tric6.
Repelir .uces.iv.mente IS opertlçóes Ilustradas pe.
lo. desenho. a, R, S, TeU ptlr. form.r c.d. ur,' do.
ponto. triOO .eguintes.

Par. termln.r um tricõ, • preciso rem.t.r o. ponto.,
com 'Iude cM duas .gulhas. Est. operllÇJo ch.m.· ..
"rem.t.r o. pontos." --

ftM'n.ter o. ponto.
Tricotar do;. ponto. em meitl ; introduzir •• guthtl di·
reita no segundo pont0.ldtl tlgulh. esquerda ; rematá
lo sobre o primeiro pomo.
Repetir até re.t.r .omenle um ponto. Curt.r o fio , fa
zA·lo pasur no último ponlo e tlpert" r.

17

Page 175

os ,

Toda. I' t ricoteira. experientes sabem que só o conhecimento técnico de ba·
.e nio blsta; é preciso conhecer também alguns truques, ou artes, que per-
mitam resolver 01 pequenos problemas que podem surgir durante o traba-
lho. consertar alguns erros ou esquecimentos que pOisam acontecer. Afi-
nai. ninguém é perfeito!

No CISO de uma malha listrada em tricO, em vez de
cortar 01 fiol no fim das Iistr.I, palai-IOI n.1 bor-
daI. Na hora de fazer 01 ac,bamentel, dissimulA·los
n81 cOltura. ou nu borda., ou f'zer com um. agu-
lha de tapeçaria um ponto de chulel' por clm. d.
borda. par ••• gur6·loI.

As mei .. resistiria mail .0 u.o. reforçando-as n.
ponta • no calcanhar. P.r. is.o, ul.r nesses lug.r.l,
juntamente com 8 16, um fio de algodio par. cerzir,
tricotando com o. doi. fio. juntos.

Remendar as pontas das maias e das luvas usando ~
resto. ~e lã, mi' esm,o sendo d ..... r diferent~. E mi oda, .
e as cnanças .car o encanta as e ter me ••• e uvas
personalizadas.

As meias perm.necerão m.i. esticad .. n. perna, se
.e p ... arem .Igumas fileiras de fio I"ex na. primei·
ra, carreir .. da barra d .. bordas, ou t.mbêm mono
tando as barras com montagem tubular, podendo a.·
.im p .... r posturlormente el6stico redondo.

Para tricotar umll corda com quatro ponto., para IS
mais prátic .. , nlo li necellárlo pOr (I' p. numa agu
lha auxiliur. Boste passar e. arulh. pele frente ou por
trás do. doi. primeiro • .,K)ntos e tricotar os dois se·
guiot('. u ticando-o. ligpir.ments.

Par. lormar (IS ~ • • , uma agulha auxili.r li bastan·
te incOmoda. Sub.titui-Ia por um pas,a·cadarço, ;.,.
roduzlndo·o no trab.lho. Ele .erve tambêm p.ra
ontar 011 pontos

Na .u. biblioteca c .. eir., tenham um bloco de .nota·
çOe., no qu. l vec •• mencionarão cada malha que
executarem. Marcar a lã usada (marc. e espe:;su.a),
modo de con.ervaçlo de.ta II (segundo as indica-
çOe. da etiqueta), o numaro das agUlhas de tricO ou
de croeh. u.adas, enfim. todas as ob.ervaçOe. que
po.sam 1M utel. para o dib em que voe" tenham
que alon,ar ou tran.formar uma malha, por exem·
pio.

Para. .!vitar IlHO. numa parada do trabalho, especial-
mente no cas;) de motivos ajurado., marc.r a carreio
ra cOlre.pondente.

Par. um pequeno conseno numa malha, li nfIG..&sá·
rio ter lã com a me.ma cor e textura. P.ra ilSO, quan·
do .e termin.r um trebalho em triCÔ ou em croc..hl.
in.erir na. costura. dOi I.do. e das mang •• , se fo·
rem comprld .. , utl". ou duas agulhadas de li. Elas
est.,Io , .1.1. di.po.içlo em caso de necesaidade, ,
o que li 'TIo!' itr,port.n,!!.. com exat.mente II me.,,,~
cor ql.. e '" n. lllhll, me"mn .endo levemente desbota·
dll por lavII'gen. repotidas.

As ~xplicaçOes para um certo modelo .ão ger'lman-
te fcrnecidas em vário', tamanho • . P.ra facil itar a lei·
tura. cercar de verm" tio o. numeros corre.ponden·
tes ao tam.ni'lo escolhido. 1 .. 0 evitará hesitllçoe. e
erro. pOllrVI ii.

Similer Documents